As novas tecnologias chegaram ao campo e o agronegócio nunca mais será o mesmo.


post-thumb


Chame como quiser: Indústria 4.0, Pecuária 4.0, CowTech. A verdade é que o agronegócio brasileiro evoluiu como nunca nos últimos anos e hoje não tem quase nada de bucólico: as fazendas se transformaram em empresas e os produtores rurais viraram empresários.

 

Não é de se surpreender que, em meio a essas mudanças, uma revolução digital esteja nascendo. Essa revolução, que envolve automação de processos e processamento de dados, tem ajudado pecuaristas e pisciculturistas a aumentarem a produção e reduzir o desperdício, melhorando as margens e, claro, sua capacidade de investimento.

 

“Novas tecnologias têm sido adotadas especialmente por grandes pecuaristas. São empresários com extensas propriedades e, por vezes, com mais de 200 mil cabeças de gado”, afirma Celso Ricardo Cougo Ferreira, consultor em gestão estratégica e operacional para o agronegócio. “O controle do confinamento, o equilíbrio da alimentação, o melhoramento genético, tudo depende desses sistemas de informação, alimentados por uma série de modernos equipamentos”.

 

Com tantos dados em mãos e com o auxílio de softwares para organizá-los e interpretá-los, os produtores deixam a intuição um pouco de lado e conseguem tomar decisões fundamentadas. Todo o ciclo – a cria, a recria e a engorda – se beneficia disso, e o animal se desenvolve da melhor maneira possível. Segundo Ferreira, trata-se de um avanço importantíssimo, pois somente 20% dos bovinos que vão para o abate no País, por exemplo, atingem seu máximo potencial.

 

“O lado bom é que temos, a médio prazo, uma enorme margem para melhoramento”, diz. “A avicultura e a suinocultura também estão sintonizados com essa tendência. O fim é o mesmo: aumento da previsibilidade, da produtividade e, claro, da lucratividade”.

 

Ecossistema de empresas e parceiros

 

Coerentemente, o ecossistema de empresas de tecnologia também tem se expandido. Segundo pesquisa realizada pela Agtech Garage e pela Esalq/USP, o número de startups voltadas exclusivamente ao agronegócio mais que dobrou entre 2016 e 2018 – de 76 para 184.

 

Esse avanço alimenta e é alimentado pelo crescente interesse do mercado por equipamentos e softwares que tiram proveito de recursos como imagens por satélite, sensores remotos, aprendizagem por máquina e inteligência artificial.

 

No entanto, embora o investimento em novas tecnologias traga retorno, muitos produtores não têm condições de direcionar os recursos necessários e esperar pelo retorno. Para Ferreira, é nesse estágio que governo e mesmo companhias maiores podem ajudar.

 

“Não só com financiamento, mas principalmente com conhecimento, seja através da Embrapa, seja por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”, pontua. Os frigoríficos também podem se tornar parceiros. Afinal, como intermediários entre o produtor e o cliente, eles sabem o que o mercado deseja, e podem contribuir com os pecuaristas para que eles atinjam o nível desejado”.

 

Nas próximas semanas, falaremos mais sobre tecnologias que estão modificando a pecuária e a piscicultura no País. A ANUTEC BRAZIL, maior evento do setor de carne e proteína animal, está por sintonizado com essas tendências e é o melhor lugar para que você fique por dentro também.

 

ANUTEC BRAZIL é a feira para conhecer as novas tecnologias do Agro

 

A pecuária e a piscicultura estão mudando, e a ANUTEC BRAZIL, Feira Internacional do Setor de Carnes e Proteína Animal, surge como a principal plataforma de negócios para esses mercados. Grandes players do setor, como Bettcher, Handtmann, Tecmaes, Multivac e Polyclip, entre outros, já confirmaram sua presença na próxima edição do evento, onde vão apresentar as últimas tecnologias em equipamentos para mais de quatro mil frigoríficos de todo o Brasil.

 

Mais informações sobre o mercado e sobre a ANUTEC BRAZIL estão no site www.anutecbrazil.com.br

 

Serviço:

ANUTEC BRAZIL

26 a 28 de maio de 2020

Expo Trade Convention Center – Curitiba (PR)

 

2PRÓ Comunicação

Teresa Silva – teresa.silva@2pro.com.br

Ricardo Berezin – ricardo.berezin@2pro.com.br

Myrian Vallone – myrian.vallone@2pro.com.br

(11) 3030-9463| 3030-9462 | 3030-9404

 


0 comentários em “As novas tecnologias chegaram ao campo e o agronegócio nunca mais será o mesmo.”


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *